Acho que todo mundo que já viajou pelo menos uma vez na vida sabe que viajar dá um certo trabalho e têm muitas informações importantes que não podemos deixar passar batido.

Vou aproveitar esse espaço para dar algumas dicas que considero muito valiosas e que servem para 99% das viagens, tanto nacionais quanto internacionais.

PREPARANDO A VIAGEM

Surgiu a ideia de viajar. E agora? Pra onde ir? Onde ficar? O que fazer?

Na hora de decidir um destino, não vá só porque “está na moda” ou “todo mundo está indo”. Viagem é um momento prazeroso e tem que ser para um lugar com atrações que você gosta. Por exemplo, não adianta viajar para uma cidade que só tem museu para ser visitado se você detesta museu. Ou para uma estação de esqui se você tem pavor a frio. A viagem tem que ser personalizada de acordo com seus gostos, não se engane com pacotes quadradinhos e cheios de programas que você não curte.

Se for comprar passagem pela internet, pesquise bastante e em dias/horários diferentes. Os preços mudam muito e de uma hora para a outra. Além disso, limpe os cookies do seu navegador. Os sites rastreiam o que você está procurando e a tendência é dos preços subirem. Também confira qual é a franquia de bagagem que a sua tarifa permite. A regra geral no Brasil ainda é uma bagagem de 23kg para voo doméstico e  até duas bagagens com 32kg cada (não, não pode levar uma mala com 40kg. O peso não é cumulativo) para voo internacional. Se você for para o exterior e for voar por lá, quando você compra todos os trechos no mesmo localizador do seu voo internacional (saindo do Brasil), a franquia de bagagem é a mesma. Quando você compra separadamente, fique muito atento!! Muitas companhias aéreas internacionais tem tarifas diferentes para quem despacha bagagem ou não. Mesmo quando pode despachar bagagem, dificilmente vai estar incluída mais de uma bagagem com 23kg. Não deixe de conferir!!

Para escolher hotel, a primeira coisa que vejo sempre é a localização. Esse item faz toda a diferença!!! A não ser que você esteja indo para um resort, no qual vai passar o dia todo curtindo de fato as coisas que ele tem a oferecer, numa viagem turística você vai passar a maior parte do tempo na rua e estar bem localizado é um adianto de vida. Pesquisando em sites como o Booking ou Trip Advisor, leia as avaliações de quem já foi. Ali você vai ver opiniões sinceras, seja para elogiar ou criticar.

Quando for fazer uma viagem para diferentes cidades, sempre leve em consideração o tempo de deslocamento entre elas e verifique se existe alguma diferença de fuso horário. A falta de conferência desses itens pode te trazer sérios problemas. Assim como num tour pela Europa, verifique se a moeda corrente é a mesma entre todos os países visitados.

Algo que sempre gosto de fazer também é comprar um chip de telefone com internet. Gente, facilita muito a vida do viajante. Está com algum problema? Pergunta pro Google. Ele tem 99% das respostas que você precisa. Além disso, com o Google Maps você tem informação de deslocamento, qual ônibus/trem pegar, que horas eles passam, etc. O investimento no chip costuma ser de $40,00 (moeda local).

Sugiro adquirir um seguro saúde também. Lembra do velho ditado “melhor prevenir do que remediar”? A gente sempre torce para dar tudo certo durante a viagem, mas se acontecer algum imprevisto e você precisar ir ao hospital, vou te falar que a conta não vai ficar barata. Melhor gastar com o seguro que ainda cobre extravio de bagagem e outros itens do que ter uma mega dor de cabeça e uma conta alta para pagar depois.

DOCUMENTAÇÃO

Para viajar, seja independente do meio de transporte, é necessário levar certos documentos. Não marque bobeira!! Sem eles sua viagem pode nem começar.

Vamos aos principais:

  • Viagens domésticas: Seja de ônibus, trem ou avião, você tem que apresentar um documento com foto dentro da validade. Os mais usados são carteira de identidade, carteira de motorista e carteira da OAB.
  • Mercosul: Para os países membros do Mercosul não é obrigatório apresentar passaporte. Você pode entrar no país com a sua carteira de identidade. Mas atenção, não serve carteira de motorista!! Apenas RG ou passaporte.
  • EUA e Canadá: Visto e passaporte são obrigatórios, independente do seu objetivo no país.
  • Europa e México: Para viagens de turismo com duração de até 90 dias não é necessário visto, mas o passaporte é obrigatório.

Lembrando que o recomendado é que o passaporte e o visto tenham validade superior à 6 meses. Abaixo disso pode dar problema na imigração.

Se for alugar carro no país de destino, verifique se precisa de tradução da carteira ou algum outro documento. A maioria dos países aceita a carteira de motorista brasileira para a locações, mas é sempre importante conferir.

AEROPORTO

Chegou o grande dia e partiu aeroporto!!!

Sua viagem é dentro do Brasil?

Temos basicamente 3 companhias aéreas aqui. Baixe o aplicativo, faça o check in pelo telefone e salve o cartão de embarque no Wallet/Passbook. Isso é legal porque a companhia avisa caso haja alguma alteração no seu voo, portão de embarque ou qualquer outra informação útil. Além disso, quando você faz check in online pela Azul por exemplo, você ganha pontos extras. Não dá para recusar né? 😉 Outro benefício do check in online é que se você se atrasar e chegar ao aeroporto com o check in no balcão já encerrado, mas faltando pelo menos uns 20 minutos para o avião decolar, você não perde o voo. Mas evite correr riscos, o recomendado é chegar com 1 hora de antecedência ao aeroporto, no mínimo.

Em voos nacionais você pode despachar uma bagagem com até 23kg e levar uma mala de mão com até 5kg. Também é permitida uma mochila ou bolsa social, como as que as mulheres carregam. No Brasil é permitido viajar com líquido na mala de mão, independente do tamanho. Mas objetos perfurantes, cortantes, explosivos e afins são vetados. Já implicaram até com uma miniatura da Space Needle de Seattle que estava na minha bolsa, só porque tinha uma ponta que parecia uma agulha.

Sua viagem é para o exterior? Vamos lá que a coisa muda um pouquinho.

Para voos internacionais é recomendado chegar ao aeroporto com pelo menos 2 horas de antecedência. Não arrisque chegar com menos tempo, porque você vai passar pelo controle de passaporte da polícia federal, o raio x é mais rigoroso e as filas, inclusive do check in, costumam ser longas.

Falando em raio x, prepare-se. Não pode, sob hipótese alguma, levar líquidos na mão com mais de 100ml, sendo que eles devem estar numa sacolinha transparente e serem retirados da bolsa. Se tiver mais de 100ml eles jogam fora sem dó nem piedade. Não importa se é um shampoo carérrimo que você comprou em Paris ou uma garrafinha de água mineral. Você também tem que descalçar os sapatos (principalmente nas inspeções do exterior para o Brasil) e tirar o laptop da mochila, caso esteja com um.

Se estiver levando remédio, é bom ter em mãos a receita em inglês. Pode ser cobrado e, caso você não a tenha, pode acabar ficando sem o remédio.

Leve cópia das reservas de hotéis e passagem de retorno. Você pode precisar na imigração.

DINHEIRO

Muita gente fica em dúvida sobre qual a melhor forma de levar dinheiro numa viagem internacional. Então vamos analisar as 3 principais ferramentas, mas, independente da sua preferência, leve sempre mais de uma opção:

  • Dinheiro em espécie: É o que possui menor custo. Você vai pagar o câmbio turismo e nada mais. A desvantagem é que se perder esse dinheiro, bye bye. Não tem como recuperar.
  • Cartão de crédito: É a segunda forma mais barata de usar dinheiro no exterior, já que você paga o câmbio comercial (mais baixo do que o turismo) + IOF. Outra vantagem é que você acumula pontos no seu programa fidelidade. O principal fator de risco do cartão de crédito é que você fica vulnerável às mudanças cambiais. Por exemplo: você está nos EUA e fez uma compra. O câmbio de hoje está R$3,50. No dia que você paga a fatura do cartão o câmbio está R$3,60. Você teve um “prejuízo” de R$0,10 por dólar gasto. Por outro lado, se o câmbio estiver a R$3,30 você “economizou” R$0,20 por dólar gasto.
  • Cartão pré-pago: Nessa modalidade você vai pagar o câmbio turismo + IOF, sendo assim a mais cara das 3 opções. A vantagem desse tipo de cartão é que você pode levar uma via reserva (as empresas costumam fornecer) e, caso perca, você transfere o valor para o cartão reserva e em menos de 24h estará com o dinheiro disponível de novo. Ele possui o mesmo fator de risco que o cartão de crédito, mas ao contrário, já que o câmbio é pré fixado. Se a diferença cambial aumentar, sorte para você. Se diminuir.. Bem, acontece.

 

Espero que tenha gostado das dicas!!!! Se tiver algo para acrescentar fique mais que à vontade para registrar nos comentários ou mande email para donaviagem@gmail.com.  🙂

Não deixe de curtir nosso perfil no Instagram @donaviagem e nossa página no Facebook! Também deixe seu email cadastrado no blog para receber novidades exclusivas!

Obrigada pela visita!  😉

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *